E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor, Meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador,porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo. (Lc 1,47-49)

sábado, 31 de julho de 2010

Oração pelos sacerdotes

Senhor Jesus Cristo que, para
testemunhar-nos o vosso amor infinito, instituístes o sacerdócio
católico, a fim de permanecerdes entre nós, pelo ministério
dos padres, enviai-nos santos sacerdotes.

Nós vos pedimos por aqueles que estão conosco, à frente da nossa comunidade, especialmente pelo pároco da nossa paróquia: Frei Cristiano e nossos vigários: Frei Francisco e Frei Fernando

Pedimos pelos missionários que andam pelo mundo, enfrentando cansaço, perigos e dificuldades, para anunciar a Palavra da Salvação.

Pedimos pelos que se dedicam ao serviço da caridade, cuidando das crianças, dos doentes, dos idosos e de todos os que sofrem e estão desamparados.
Pedimos por todos aqueles que estão a serviço do vosso Reino de justiça, de amor e de paz, seja ensinando, abençoando ou administrando os sacramentos da salvação.
Amparai e confortai, Senhor, aqueles que estão cansados e desanimados, que sofrem injustiças e perseguições pelo vosso nome ou que se sentem angustiados diante dos problemas.
Fazei que todos sintam a presença do vosso amor e a força da vossa Providência. Amém.


sexta-feira, 30 de julho de 2010

Vem aí o 1º ABRAÇO DE PAI !!!!

No dia 08 de Agosto de 2010
Na casa da Cultura, Candeias-Ba
A partir das 15hs
Com participação Especial do Pe Cleidimar Moreira e Banda Alto Louvor
( Com. SHALOM)
Ingressos apenas R$ 10,00


quinta-feira, 29 de julho de 2010

quarta-feira, 28 de julho de 2010

terça-feira, 27 de julho de 2010

ATUALIDADES: Jovens entre 10 e 12 anos são usuários ativos do álcool.

Em várias missas que acompanhei ministrada pelo vigário paroquial Frei Francisco Bezerra, cujo assunto foi sobre o alcoolismo, ele fazia uma observação que jugo substancial na entrada dessa droga lícita no ambiente familiar. O Frei dizia que o nome cerveja – no diminutivo cervejinha –, tirava o foco das conseqüências que o álcool produz caso seja ingerido em excesso e sem moderação. Segundo sua reflexão, a palavra no diminutivo transforma o ato de beber em algo cômico. “Um golinho, umazinha, rapidinha, quando você se der conta já está no fundo do poço”, alertou.
Segundo dados da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), aos 12 anos de idade, quase 13% dos estudantes brasileiros já usaram algum tipo de droga ilícita pelo menos uma vez, e 7% experimentaram cigarros. Mas a droga que ainda faz mais sucesso entre os jovens brasileiros continua sendo o álcool. O quinto levantamento nacional sobre consumo de drogas entre estudantes, preparado pela instituição mostrou que, dos 48.155 jovens que participaram da pesquisa, 41% já tinham usado bebidas alcoólicas entre os 10 e 12 anos. Aos 18 anos, 81% deles já haviam bebido.
O álcool também é a droga de uso mais freqüente entre os jovens e foi considerado pelos pesquisadores um "grande problema de saúde pública". Entre os entrevistados, 11,7% afirmaram que faziam uso freqüente de bebidas alcoólicas - no mínimo seis vezes por mês - e 6,7%, uso pesado (pelo menos 20 dias por mês). Outro dado que assusta é da Organização Mundial de Saúde, é que as drogas ilícitas respondem por 0,8% dos problemas de saúde em todo o mundo, enquanto o cigarro e o álcool, juntos, são responsáveis por 8,1% desses problemas. No tratando de Brasil, a capital baiana se destaca com maior percentual de consumo abusivo de álcool entre a população entrevistada, seguida de Belém (PA) e Palmas (TO). O menor percentual foi verificado em Curitiba (PR).
Há uma série de números que impressionam e listadas aqui não caberiam, no entanto o problema nunca será algo impossível de se combater. A família sempre será um dos grandes pilares da reeducação e prevenção desse mal que vem destruindo jovens e adultos de forma desleal e prematura. A educação dos filhos é uma das tarefas mais importantes que os pais podem realizar. Hoje em dia, o incentivo ao uso do álcool e de outras drogas dentro da própria família é muito grande. É necessário medidas que impeçam a banalização dessa droga. Em casa a melhor forma de combate é o exemplo, que arrasta multidões.

Por Uilson Vitor

sábado, 24 de julho de 2010

17º Domingo Comum: Evangelho (Lucas 11,1-13)

1Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um dos seus discípulos pediu-lhe: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”.
2Jesus respondeu: “Quando rezardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. 3Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos, 4e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação’”
5E Jesus acrescentou: “Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães, 6porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’, 7e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’; 8eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário.
9Portanto, eu vos digo: pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. 10Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá.
11Será que algum de vós, que é pai, se o filho lhe pedir um peixe, lhe dará uma cobra? 12Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião?
13Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!”

sexta-feira, 23 de julho de 2010

CATÓLICOS PERGUNTAM: Qual a importância da família?

Talvez pensemos que no conjunto dos problemas deste grande país, a vida de um pai e de uma mãe tenha pouca importância. Porém, deveríamos estar convencidos de que neste pequeno conjunto que forma a família, o pai e a mãe são pessoas fundamentais, elementos insubstituíveis e decisivos.
No desígnio de Deus, Criador e Redentor, a família descobre não só sua identidade, mas também o que pode e deve fazer. A família tem a missão de ser cada vez mais uma comunidade de vida e amor. Para realizar essa missão, é necessário um clima de boa comunicação e união de propósitos entre o marido e a mulher, e uma cuidadosa cooperação dos dois na educação dos filhos.
É preciso dizer que a essência e a missão da família são definidas, em última instância, pelo amor. Por isso a família recebe a missão de guardar, revelar e comunicar o amor, como reflexo vivo e participação real do amor de Deus pela humanidade e do amor de Cristo pela igreja, sua esposa. A família é o lugar onde os seres humanos extraem as suas maiores virtudes e forma seu caráter. Por isso, num ambiente familiar deve haver a presença do Pai Celestial que apazigua toda situação de desespero e nutre de paz o lar.
Se todo o ser humano soubesse o quanto a oração diária ajuda no desenvolvimento familiar a tinha como atividade prioritária. A oração remedia a alma. A casa que prolifera o nome de Jesus e o tem como companheiro e amigo de todas as horas, nunca desanima, pois o Cordeiro de Deus ajuda a todos que a ele se apega clamor e perseverança.

Por Joselina Ferreira

quinta-feira, 22 de julho de 2010

PARA REFLETIR: O poder das palavras.

Quantos de nós falamos palavras com energia negativa diariamente? Chateados, enraivados, com ódio, ou furiosos, em circunstâncias ruins e, mesmo nas mais agradáveis, nos apegamos aos estigmas negativos que nos rodeiam e a eles, na maioria das vezes, nos tornamos escravos. “Que diabo!”, “esse menino é um capetinha”, “vá pro inferno”, “eu sou o cão chupando manga”, “que desgraça!”, “que droga!”, “o diabo que o carregue”, “fulana é uma víbora...”, as costumeiras palavras nos deixam mais empolgados, dando-nos fôlego e sem perceber perdermos a santa paz que paira em nossos corações.
Comumente somos nós próprios que atraímos os maus fluídos para nossas vidas. As coisas começam a não dar certo por determinados períodos e não achamos explicação. O que pronunciamos pode causar estragos para a gente e para os outros. Em muitas discussões entre mãe (ou pai) com o filho, o que mais se ouve são os palavrões – o que gera a falta de respeito entre eles. Os insultos enfurecem aqueles que estão sendo agredidos verbalmente, desencadeando sentimentos, na maioria das vezes difíceis de controlar. Situações não muito diferentes acontecem com vizinhos, amigos, parentes, ou desconhecidos em qualquer ambiente. Não conseguimos parar, é mais forte que nós mesmos porque mexe com o nosso sistema nervoso. Perdemos a capacidade de controle, o uso da razão, a noção de tempo e espaço, e com isso criamos expressões e ditos muitas vezes jocosos.
Uma palavra dita sem pensar pode trazer consequências desagradáveis e ainda despertar algo mais perigoso: a ira e o ódio. A ira é um sentimento breve, enquanto o ódio pode durar até uma vida inteira. Apesar disso, num ataque de ira, somos passiveis de cometer erros até mais graves que as vinganças movidas pelo ódio, o seu poder pode estimular os ímpetos maléficos de uma pessoa, além de ser um dos sete pecados capitais.
A palavra tem poder, ela pode abençoar e amaldiçoar. Por isso devemos ter cuidado e medir o que falamos. O instinto é mais rápido, mas a sabedoria é a arma mais correta. Devemos usá-la sem moderação. Isso me lembra o trecho de uma música da cantora gospel Fernanda Brum que diz: “Então tenha, cuidado com sua boca, cuidado com sua língua, cuidado com o que falar. Então diga palavras de consolo, palavras que transmitam o amor de Jesus”.

Por Mônica Valle

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Famílias em colapso: e daí, o que temos com isso? CONTINUAÇÃO

Depressão

A Pastoral da Família já visitou somente este ano, de janeiro a junho, mais de 300 famílias com dificuldades de relacionamento e em quase todas elas o quadro era depressivo. Tia Rosa estima que 60% das famílias candeienses passem por essa situação. “A igreja está dando sua parcela de contribuição. Nosso trabalho é voluntário. Nos informamos, fazemos parcerias com psicólogos (também voluntários) e quando o caso é mais grave nós encaminhamos para o instituto da família em Salvador, bem como os dependentes químicos, que são direcionados pela Pastoral à um centro no bairro do Canela, também na capital. Os governantes precisam fazer mais “poderiam disponibilizar especialistas para que trabalhemos em conjunto unindo forças”, destaca Rosa.

Veículos de comunicação

Na opinião dela, os meios de comunicação de massa também deveriam contribuir. “Eles não abrem espaço para que divulguemos nossas ações. A família só entra em pauta quando o assunto é a perda dos valores nela gerados, mas não é bem assim. A família ainda é formadora de valores e isso deve ser explorado e noticiado. No mês de junho realizamos um encontro para casais de namorados que desejam ter uma vivência em Cristo, se importando com os valores construídos no período antes do matrimônio, mas para a mídia um assunto tão importante como esse não é relevante” finaliza a líder da Pastoral Familiar.

Por Mônica Valle

terça-feira, 20 de julho de 2010

Um problema de todos.

Mas será que esse é um problema decorrente apenas de cidades pequenas ou também das grandes? Para falar sobre o assunto o jornal “O Santuário” conversou com a líder da Pastoral Familiar de Candeias, Rosa Brito. Ela disse que a situação do município é devastadora e que em regiões maiores a situação deve ser pior. Para tia Rosa, como é conhecida, as famílias estão sem rumo, não sabem qual direção tomar. “A falta de conhecimento em Deus, os problemas conjugais e financeiros estão deixando as pessoas sem esperança. Tem família que não acredita mais em Deus”, relata tia Rosa.
O título desta reportagem faz uma pergunta sobre o que os outros, que não passam pela mesma situação, têm a ver com a história. A resposta é que falta de solidariedade e humanidade entre as pessoas contribui contundentemente nesse processo. Tia Rosa afirma que muita gente não se importa e isso implica no fortalecimento de uma grande vilã: a depressão. “A Pastoral Familiar faz visitas semanalmente nas residências de Candeias e percebemos que o quadro depressivo aumenta cada vez mais. As pessoas próximas, por sua vez, não sabem como ajudar a resolver esse problema, na verdade nem interferem. Há também outra preocupação: os filhos. Esses em grande parte dos casos, adolescentes de 13 e 14 anos, já são usuários de drogas. Os pais não sabem como lidar. Lembro-me que numa visita, um pai desesperado torceu para que seu próprio filho fosse morto pela polícia. É de dar nó na garganta, mas infelizmente a cada dia isso acontece em qualquer lugar do planeta”, desabafa a líder da Pastoral.

Continua...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Famílias em colapso: e daí, o que temos com isso?

Dentre os diversos dramas que vivemos em nossa sociedade moderna, há um que contribui para a degradação de vários outros: a ruptura familiar. É triste assumir que num mundo cada vez mais desenvolvido estamos passando por quebras de paradigmas tão impactantes. Encontrar-se no habitual horário matinal para tomar o café da manhã com os membros da família é cada vez mais raro.As pessoas andam muito apressadas a fim de darem conta de seus afazeres cotidianos. Antes o pai saia para o trabalho, a mãe cuidava da casa e das crianças, os filhos iam à escola, faziam suas tarefas, brincavam com seus amiguinhos e todos se respeitavam, tinham confiança um no outro e conviviam. Mas essa rotina mudou com a globalização. As coisas já não são mais iguais há muito tempo. Os princípios constituídos pela família foram se perdendo ao longo dos anos, dando lugar à correria do dia-a-dia e às novas tecnologias.
As estruturas familiares estão ruindo a partir da falta de tempo, paciência, amizade e compreensão entre os envolvidos. Vive-se atualmente a individualidade, cada um por si e Deus por todos. Cruel, mas real. Os pais não têm mais respeito e atenção pelos filhos que por sua vez confronta-os com seus métodos cibernéticos, desafiando as normas e se envolvendo nas mais incrédulas confusões. A família que antes servia como base e alicerce hoje encurta o relacionamento, dando vez à falta de diálogo e de união.

Por Mônica Valle

Continua...

sábado, 17 de julho de 2010

Escolher a melhor parte

Naquele tempo, 38Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. 39Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava sua palavra.
40Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha, com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!”
41 O Senhor, porém, lhe respondeu: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. 42Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”.

Evangelho (Lucas 10,38-42)

sexta-feira, 16 de julho de 2010

quinta-feira, 15 de julho de 2010

terça-feira, 13 de julho de 2010

segunda-feira, 12 de julho de 2010

sábado, 10 de julho de 2010

“Vai e faze a mesma coisa”.

Naquele tempo, 25um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?”
26Jesus lhe disse: “O que está escrito na Lei? Como lês?”
27Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao teu próximo como a ti mesmo!”
28Jesus lhe disse: “Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”.
29Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?”
30Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora, deixando-o quase morto.
31Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado.
32O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado.
33Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. 34Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele.
35No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: ‘Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais’”.
E Jesus perguntou:
36“Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?”
37Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”.
Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.


Evangelho (Lucas 10,25-37)

sexta-feira, 9 de julho de 2010

quarta-feira, 7 de julho de 2010

terça-feira, 6 de julho de 2010

sábado, 3 de julho de 2010

Solenidade de São Pedro e São Paulo Apóstolos

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”
14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”.
15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?”
16Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.
17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. 18Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus

Evangelho (Mateus 16,13-19)

sexta-feira, 2 de julho de 2010

quinta-feira, 1 de julho de 2010

"ORAÇÃO A VIRGEM MÃE DE DEUS DAS CANDEIAS"

Virgem Santíssima, Mãe de Deus das Candeias
Vós que pelos merecimentos de vosso filho Onipotente, tudo alcançais em benefício dos pecadores de quem sois igualmente Senhora e Mãe. Vós que não desprezeis as súplicas humanas, nem a elas fechais o vosso compassivo e misericordioso coração: iluminai-me na estrada da vida, encaminhai os meus passos e as minhas ações para o verdadeiro bem. Livrai me de todos os perigos a que está exposta a minha fraqueza; defendei-me dos meus inimigos, todos os dias de minha vida, enquanto não me virdes já salvo no céu a agradecer-vos e louvar-vos. E depois de todos estes benefícios da vossa clemência nesta vida, conduzi a minha alma para a morada dos anjos, onde estais com Jesus Cristo, Nosso Senhor, que vive e reina por todos os séculos dos séculos.
Amém.